Cantor era ‘um gênio, uma alegria e um choque para os sentidos’, disse Ava DuVernay, indicada ao Oscar por documentário sobre emenda que aboliu escravidão no país. Prince se apresenta durante o show do intervalo do Super Bowl XLI no Dolphin Stadium, em Miami, em fevereiro de 2007
Chris O’Meara/AP/Arquivo
A Netflix encarregou a diretora americana Ava DuVernay de uma série documental sobre a vida do cantor americano Prince, indicou à France Presse a plataforma, confirmando uma informação publicada no site da revista “Variety”. Detalhes sobre o projeto não foram divulgados.
DuVernay foi indicada ao Oscar em 2017 na categoria de melhor documentário por sua produção “A 13ª emenda”, sobre a emenda à Constituição americana que aboliu a escravidão no país.
A mesma produção, mas produzida pela Netflix, recebeu duas estatuetas no Emmy, maior premiação da televisão dos Estados Unidos.
‘Choque para os sentidos’
“Prince era um gênio, uma alegria e um choque para os sentidos”, escreveu a diretora em uma mensagem publicada em sua conta no Twitter. “Ele era único”.
“Ultrapassou os preconceitos, rompeu fronteiras e compartilhou seu coração por meio de sua música”, continuou.
“A única forma que sei fazer essa produção é com amor e cuidado”, acrescentou, dizendo estar “honrada” e “agradecida” por ter sido convidada para o projeto.
Cantor e multi-instrumentista, Prince morreu em abril de 2016 por uma overdose de fentanil, um potente analgésico, 100 vezes mais forte que a morfina.

https://g1.globo.com/pop-arte/