Balanço do 2º trimestre também aponta um volume de novos clientes no resto do mundo abaixo do que o mercado esperava. Nova temporada de “Black Mirror” estreou em junho, com participação de Miley Cyrus
Reprodução/Youtube
A Netflix encerrou o 2º trimestre deste ano com perda de 130 mil clientes nos Estados Unidos e um volume de novos assinantes no resto do mundo abaixo do que o mercado esperava, apontou o balanço divulgado nesta quarta-feira (17).
Foi a primeira vez que a líder mundial no streaming de vídeos reportou queda no número de usuários no mercado americano desde 2011, quando separou esta atividade do serviço de DVDs por assinatura.
Em todo o mundo, a Netflix atraiu 2,83 milhões de novos assinantes, mas o montante ficou abaixo dos 4,8 milhões projetados por investidores para o período.
Ao todo, o número de clientes que pagaram pelo serviço entre abril e junho chegou a 151 milhões.
O lucro líquido da empresa caiu cerca de 30% na comparação com o 2º trimestre de 2018, para US$ 270,7 milhões. A receita subiu 26%, de US$ 3,91 bilhões para 4,92 bilhões, pouco menos que o esperado.
As ações da Netflix caíram mais de 10% com a divulgação dos resultados, depois do fechamento da bolsa de Nova York, o que representa uma queda no valor de mercado de mais de US$ 17 bilhões.
Reajuste e ajuda de ‘Stranger things’
Entre os motivos que impactaram o lucro, segundo a Netflix, estão o aumento de custos e o crescimento da provisão para Imposto de Renda.
No começo do ano, a empresa anunciou um aumento no preço das mensalidades. Segundo jornal “The New York Times”, a maior perda de assinantes aconteceu em março. Foi neste mês que o reajuste começou a valer no Brasil.
Para o 3º trimestre, a Netflix previu crescimento de 7 milhões de clientes pagos, com a ajuda de uma nova temporada do thriller sobrenatural “Stranger things”, lançada no último dia 4. Isso é mais otimista do que os 6,6 milhões previstos por analistas, segundo a agência Reuters.
A série bateu o recorde de audiência do serviço de streaming nos primeiros 4 dias, tendo sido vista por 40,7 milhões de usuários, segundo a companhia.

https://g1.globo.com/pop-arte/