Julgamento se encerrou nesta quarta-feira (14). Promotor sueco rejeitou alegação de legítima defesa. Rapper A$AP Rocky durante apresentação no American Music Awards, em Los Angeles, em novembro de 2017
REUTERS/Mario Anzuoni/File Photo
A Justiça sueca condenou o rapper americano A$AP Rocky por agressão nesta quarta-feira (14). Segundo informações da CNN, ele recebeu um sentença condicional.
Além dele, outros dois membros de sua equipe também foram condenados. Ele estava solto há 12 dias para aguardar o julgamento.
A defesa do rapper e sua equipe havia alegado legítima defesa. Mas a alegação foi contestada pelo promotor do caso, Daniel Suneson
“Com base nas declarações de duas testemunhas, o tribunal considera que os réus não estavam sujeitos a um ataque criminoso, no momento ou iminente. Portanto, eles não estavam em uma situação em que tinham direito a usar a violência em autodefesa, nem poderiam ter percebido estar em tal situação”, declarou o promotor.
Agressão e perseguição
A$AP Rocky, cujo nome é Rakim Mayers, foi detido em 3 de julho após um show, junto com outras três pessoas sob acusação de lesão corporal. O grupo se envolveu em uma briga, em 30 de junho, nas ruas de Estocolmo.
Em um vídeo divulgado no portal de notícias TMZ, o artista aparece jogando um jovem no chão. Na sequência, dá vários socos no rapaz.
Em alguns dos vídeos publicados na conta do Instagram do rapper, A$AP Rocky pede repetidamente a dois jovens que parem de segui-lo.
Logo após o anúncio de liberdade, Donald Trump, que já havia manifestado apoio ao rapper, publicou uma mensagem em seu Twitter.
“A$AP Rocky foi liberado da prisão e está a caminho dos Estados Unidos. Venha para casa o mais rápido possível, A$AP”, escreveu o presidente americano.

https://g1.globo.com/pop-arte/